A dor inflamatória na coluna vertebral afeta cerca de 3% dos adultos. Este tipo de dor na coluna pode ser muitas vezes confundida com a dor mecânica na coluna.  Existem diversas patologias que podem provocar dor inflamatória na coluna, algumas das quais difíceis de diagnosticar. Felizmente, nos últimos 10 anos, os avanços científicos facilitaram a identificação de algumas destas doenças pelos médicos, bem como o respetivo tratamento.

A dor inflamatória na coluna pode afetar a sua vida de diversas formas.  É importante trabalhar com o seu médico para perceber se a sua dor é de origem inflamatória, já que isto pode afetar a forma como a dor é gerida no futuro.  O diagnóstico precoce também é importante, pois algumas causas da dor na coluna podem agravar-se com o passar do tempo.

Embora possa considerar que o exercício ou os analgésicos comprados na farmácia aliviam alguns dos seus sintomas, continua a ser importante que consulte o seu médico, para obter um diagnóstico correto.

 

CARACTERÍSTICAS DA DOR NA COLUNA VERTEBRAL INFLAMATÓRIA

A dor inflamatória na coluna pode apresentar determinadas características que a distinguem de outros tipos de dor na coluna vertebral, mais concretamente da dor mecânica na coluna. Características da dor inflamatória na coluna vertebral:

  • Início em idade jovem, normalmente observado em pessoas com menos de 40 anos de idade
  • Agravamento gradual da dor
  • Os sintomas da dor lombar melhoram com o exercício
  • A dor não melhora com o repouso
  • Dor durante a noite, levando muitas vezes a pessoa a acordar na segunda metade da noite
  • Rigidez matinal  com duração superior a 30 minutos
  • Dor prolonga-se por mais de 3 meses
  • Dor glútea (região das nádegas) alternante

 

O QUE PROVOCA A DOR INFLAMATÓRIA NA COLUNA VERTEBRAL?

A dor inflamatória na coluna pode ser provocada por algumas doenças autoimunes.4 Algumas destas doenças autoimunes intimamente ligadas à dor na coluna vertebral são: Espondilite Anquilosante (EA), Espondilartrite Axial Sem Evidência Radiográfica de EA, Artrite Psoriática e Artrite Reativa.

É importante que a dor inflamatória na coluna vertebral seja reconhecida e diagnosticada, de forma a ser devidamente tratada.

DOENÇAS AUTOIMUNES ASSOCIADAS À DOR INFLAMATÓRIA NA COLUNA

Uma doença autoimune ocorre quando o organismo se ataca a si próprio e aos próprios tecidos saudáveis. Existem diversas doenças autoimunes, algumas delas intimamente ligadas à dor inflamatória na coluna.

Espondiloartrite Axial é um termo geral que inclui duas doenças que podem manifestar-se por dor inflamatória na coluna: a Espondilite Anquilosante e a Espondilartrite Axial Sem Evidência Radiográfica de EA.

  • Espondilite Anquilosante – é uma forma de artrite inflamatória em que as articulações da coluna estão envolvidas, conduzindo frequentemente a rigidez e dor lombar. As lesões provocadas por esta doença na coluna e nas articulações que fazem a ligação entre a coluna vertebral e a bacia podem ser observadas através de radiografias.
  • Por vezes, os doentes podem sentir dor e limitação nos movimentos, apesar de os médicos não conseguirem detectar qualquer inflamação na radiografia.  Na Espondilartrite Axial Sem Evidência Radiográfica de EA é necessário recorrer a formas mais avançadas de observação das articulações, como a Ressonância Magnética Nuclear (RMN). A Espondilite Anquilosante e a Espondilartrite Axial Sem Evidência Radiográfica de EA têm muitos sintomas em comum.

Outras artropatias inflamatórias – algumas doenças articulares que provocam dor inflamatória na coluna vertebral  podem ter origem em diversas zonas do corpo. Estas doenças articulares inflamatórias podem envolver a pele (Artrite Psoriática), os olhos ou o aparelho urinário (Artrite Reativa), o intestino (Artrite Enteropática) ou as articulações (Artrite Reumatóide).

Embora os sintomas destas doenças incluam mais frequentemente dor e tumefação (edema) das articulações ou tecidos envolvidos, em muitas pessoas, podem também provocar dor inflamatória na coluna vertebral.

Não existe um teste simples para a maioria destas doenças. Para ajudar ao seu diagnóstico, o médico pode realizar  exames físicos, pedir uma RMN e/ou análises ao sangue, para detectar marcadores genéticos.

Atualmente existem medicamentos para um bom controle da inflamação, trazendo enorme alívio para esse sofrimento. Da mesma forma, os exercícios físicos regulares  continuam sendo um importante recurso terapêutico, que oferece vários efeitos positivos, inclusive evitando a ocorrência de deformidades e incapacidades.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *.