corrida 2

A dor lombar (na parte mais baixa da coluna) é uma das queixas mais frequentes entre a população, e os corredores não ficam fora dessa estatística. Ela aparece normalmente ao final de um treino ou de uma prova e traz uma sensação de cansaço, como se estivesse carregando o mundo nas costas. As principais causas de dor nessa região são a atividade muscular inadequada e os movimentos incorretos durante a corrida, que geram as seguintes situações:

• Instabilidade lombar: Os músculos abdominais funcionam como uma cinta de proteção para a coluna e fazem com que ela se mova de forma segura. Sem a atividade correta desses músculos a coluna se torna instável (sem “firmeza” entre as articulações) o que pode gerar lesões;

• Pouca atividade extensora: a atividade dos músculos chamados “extensores” do tronco mantém a coluna ereta e não permite que ela caia com a força da gravidade. É muito comum observar pessoas correndo com o corpo “largado”, isto é, com pouca atividade extensora. Esse padrão sobrecarrega a coluna e causa dor. Além de problemas na região lombar, esse tipo de movimento prejudica também uma parte mais superior da coluna, o segmento torácico, e até mesmo o movimento dos braços;

• Limitação no quadril: se o movimento da articulação do quadril estiver limitado na fase de impulsão da corrida (momento em que a coxa está atrás do tronco) a coluna lombar aumenta sua curvatura como compensação. Isto gera maior compressão nas articulações vertebrais e está relacionado a casos de dores na região;

• Falha no amortecimento de impacto: os membros inferiores são os principais responsáveis por absorver o impacto do corpo com o solo durante a corrida. Quando eles não realizam essa função de uma maneira adequada, a coluna recebe mais carga do que deveria, o que pode gerar dor.

No entanto, caminhar e correr, são funções básicas do nosso corpo, e devem ser estimuladas no processo de reabilitação de doenças da coluna. Certamente, que a melhor maneira de iniciar ou reiniciar essas atividades deve ser acompanhada de perto por um médico, educador fisico e equipe multiprofissional para que não ocorra recidiva ou aparecimento de novo problema da coluna. Assim como correr maratonas ou provas de velocidade pode não ser indicado para todo tipo de pessoa, ficar parado também não é! De fato, pessoas que por alguma doença, ficam restritas de algum movimento por muito tempo, sofrem com o desuso e rigidez das articulações envolvidas.

corrida 1

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *.